Tarot no dia-a-dia

Sendo o tarot uma arte milenar, ainda tão “mal” vista hoje em dia, é talvez, difícil para algumas pessoas interiorizar que o mesmo faça parte do dia a dia de muitas outras pessoas.

A verdade é que sim, o tarot faz parte (felizmente) da vida de muita gente. Há uns dias, ouvi uma “taróloga” dizer que para se ser tarólogo não é necessário ter qualquer curso pois ler tarot tem acima de tudo a ver com uma intuição muito forte. Não discordando do facto de que, ao ter uma intuição muito forte, conseguiremos ler melhor tarot, a verdade é que ler tarot não é um dom como muitas pessoas querem fazer crer. Ninguém até hoje, nasceu a saber ler tarot.  É verdade sim que há quem tenha uma intuição mais forte e que talvez daí tenha uma pequena ajuda, mas, nada, e repito, nada se aprende sem estudo e dedicação. Obviamente que há pessoas que sentem uma ligação com o tarot, os oráculos no geral, desde muito novas, mas, sem se dedicarem e sem estudarem cada uma das cartas, torna-se com toda a certeza mais difícil ler o que cada uma das lâminas nos pode transmitir.

Acho fundamental fazer formação e estudar tarot, da mesma forma que acho essencial passarmos um tempo com cada uma das cartas. O estudo transmite-nos uma informação e a nossa intuição e dedicação vão transmitir-nos outra. As duas complementam-se.

A responsabilidade de ler tarot para alguém é tanta que, não podemos apenas ir pela nossa intuição, até mesmo porque, não é fácil termos a certeza de que a nossa intuição está a “funcionar” bem. Tenho até visto algumas contradições no que diz respeito a intuição, portanto, não me alongo mais neste tema tão complexo.

Ao longo do tempo como taróloga, tenho estudado sempre…não deixo de estudar mesmo estando a dar consultas diariamente, pois se há algo que aprendi com o tarot, é que eu cresço diariamente como pessoa. O tarot todos os dias me “fala” de algo em mim que eu por vezes não consigo ver de forma consciente, portanto acho imprescindível que não só se façam formações de tarot, como também, se continue a estudar sempre, esta arte, esta ferramenta, esta ajuda que damos a tantas pessoas que tanto dela precisam. E devemos sempre, lembrar que, ao fazer uma consulta, ao dar ajuda a alguém através do tarot, somos responsáveis por toda a informação que transmitimos. Por vezes a pessoa do lado de lá vem ter connosco muito em baixo, muito abatida e cheia de problemas, como tal, cabe-nos a nós, verdadeiros tarólogos, informar e orientar todas as pessoas de forma verdadeira, responsável e acima de tudo com ética.

Acho super importante deixar claro que somos pessoas sérias e responsáveis com o trabalho que fazemos diariamente pois é devido a falta de informação e também de informações erradas passadas por alguns “tarólogos”, que a nossa profissão ou missão estão ainda mal vistos.

 

Eu, Paula!

 

 

Meu dia-a-dia, minha missão

Durante muitos anos fui como a maioria das pessoas…trabalhar em algo que gostava era o que era suposto. Nem sempre fácil de concretizar mas, como a maioria das pessoas, corria atrás. 

Passei por alguns trabalhos, alguns gostei mais, outros nem tanto…mas é assim que é suposto! 

Felizmente chegou o dia em que entendi que não é obrigatório seguir o que é suposto. Não temos que seguir obrigatoriamente, aquilo que a maioria segue e faz. 

Crenças, pontos de vista…mentalidades que não evoluem…

Sou feliz porque percebi que posso ser o que eu quero ser, posso fazer o que eu quero fazer!

A sociedade em que vivemos não nos facilita neste aspecto mas, enquanto nos deixarmos prender por crenças e pontos de vista, enquanto nos deixarmos levar pelo que podem ou não pensar de nós, não conseguiremos libertar-nos e ser pura e simplesmente, o que queremos ser, quem queremos ser!

Foi com o Tarot que me descobri, que descobri que posso ser quem e o que eu quiser. 

IMG_5862 (2)

Posso ser julgada por isso?? Posso! 

Podem olhar-me de lado e até chamar-me maluca? Podem! Continue reading “Meu dia-a-dia, minha missão”