Sinais de desidratação

Com a chegada do tempo quente, mesmo que tarde, chegam também alguns cuidados a ter na nossa alimentação e ingestão de líquidos. 

A hidratação é fundamental, principalmente se praticamos algum exercício, bem como nas crianças pequenas, nos bebés e nos idosos, sendo essencial nos meses de maior calor.

A desidratação acontece quando o nosso organismo não tem água suficiente para funcionar de forma correta, quando a saída de líquidos é superior á quantidade que ingerimos. 

Pode acontecer de forma lenta ou rápida, consoante vários factores, nomeadamente a idade e a forma como se perdem estes líquidos. As causas mais frequentes são a pouca ingestão de líquidos ou a perda dos mesmos devido a vómitos e/ou diarreia. Contudo, com as temperaturas a aumentar, o nosso organismo obviamente necessita de mais água. É no verão que perdemos mais liquídos, por conta da transpiração e salivação.

Alguns sinais de desidratação:

  • Sede aumentada 
  • Pele seca
  • Pele fria ou a transpirar
  • Cansaço aumentado
  • Tonturas e/ou desmaio
  • Baixo nível de energia e cãibras
  • Boca e/ou língua secas e pegajosas
  • Choro sem lágrimas (em bebés e crianças)
  • Urina de cor escura ou sem urinar por mais de 8 a 12 horas.

 

Prevenir a desidratação

O ideal será ingerir bastante água todos os dias e dessa forma estamos já a prevenir ficar desidratados, contudo, e tendo em conta que a maioria das pessoas não ingere o suficiente diariamente, sugere-se o aumento gradual de ingestão de água, mesmo antes do calor chegar. Podemos também, consumir frutas com maior percentagem de água: melão, melancia, ananás, morango, etc. 

Importante ressalvar que, sumos, refrigerantes e bebidas alcoólicas, aumentam apenas o açucar no nosso organismo, como tal não são recomendáveis. 

Como últimos conselhos digo-vos que: 

  • Não fiquem á espera de sentir sede, pois chegando a esse ponto, é sinal que o nosso organismo pode já ter iniciado um processo de desidratação, o melhor será ir bebendo água ao longo do dia. 
  • Não se esqueçam de consultar sempre um profissional de saúde. Eles são quem melhor pode orientar e também, fazer um correto diagnóstico.

 

Este texto é meramente informativo. 

 

Eu, Paula.

 

 

Eu consegui…tu consegues!

Desta vez venho falar-vos de algo que me faz sentir super, hiper, mega orgulhosa de mim mesma…algo do qual quero ser um exemplo e também motivar a maioria das pessoas que conseguir.

Pois bem, à muitos anos que eu era fumadora…(sim, eu fumava). Cerca de 20 anos para ser mais precisa. Fumava e fumava até bastante…cerca de 20 cigarros por dia, ou mais quando estava nervosa.
Sempre disse a mim mesma e a todas as pessoas que me “chateavam” que eu não tinha força de vontade e sem isso nada feito.

Se eu sabia o mal que me fazia?? Claro que sim, todos os fumadores sabem!

Se eu pensava que ao fumar estava a tirar anos de vida a mim mesma e assim corria o risco de não ver os meus filhos crescer?? Claro que sim…mas evitava ao máximo este tipo de pensamento.

 

No principio deste ano de 2018, fiquei doente, uma gripe, nada de especial como tantas outras vezes já tinha acontecido. Mas desta vez em particular, eu senti que algo não estava bem comigo. Senti que estava mais cansada que o habitual, estava mais debilitada. Ao consultar um médico, pois a gripe estava a demorar um pouco a passar, fiquei a saber que estava a iniciar um quadro de infecção respiratória. Assustei-me, pois sendo fumadora à tantos anos e nunca tendo tido qualquer problema respiratório, fiquei com medo de adoecer de verdade.

Como fumadora à séria que era, nem assim deixei de fumar…não conseguia, o vício era maior que o medo. Diminui sim mas, não deixei. Uns dias depois, e já medicada, percebi que as melhorias tinham acontecido finalmente mas descobri que estava assim devido ao tabaco e não ás questões do clima, (estávamos em fins de Janeiro) pobre inocente que ainda queria acreditar que o tabaco não mata!

Um dia depois uma amiga (um anjo que tenho a sorte de ter na minha vida), falou-me de um livro que leu e a levou a deixar de fumar. Pedi-lhe o livro e assim que ela me enviou o mesmo eu comecei logo a ler.

A verdade é que assim que terminei de ler o livro, terminei também a minha vida como fumadora.

Livrei-me, em cerca de 3 dias, do único vício que tive e que me pregou o susto que eu precisava para ter a força necessária.

O dia 3 de Fevereiro de 2018 fica assim marcado como o novo inicio da minha vida. E que novo inicio pois, não me custou deixar de fumar…custa-me imenso sim, perceber que já o podia ter feito à muito tempo, não fosse a minha “mania” de achar que iria passar mal sem aquele companheiro que apenas estava a matar-me!

Como quero ser uma fonte de inspiração e motivação, deixo o link para este maravilhoso livro que me ajudou, a mim e a tantas outras pessoas, a deixar esta droga “permitida por lei”.

http://www.noticiasnaturais.com/wp-content/uploads/2014/05/O-Metodo-Facil-de-Parar-de-Fumar-Carr-Allen.pdf

 

Espero que consigas tu também ser mais feliz e saudável!

 

Eu, Paula.