Reiki – como curar com as mãos

Há muitos anos atrás ouvi falar de uma terapia que dizia curar através das mãos…o Reiki. Ouvi falar e decidi então procurar mais informações.

Pois bem, o Reiki, que é nada mais nada menos que um método japonês de cura através da energia transmitida pelo praticante com a imposição das mãos, é algo que qualquer pessoa pode aprender. É algo tão simples e tão benéfico que deveria ser ensinado a todas as crianças de todo o mundo, de forma a criar adultos melhores.

O Reiki surgiu no Japão através de Mikao Usui, um homem que se baseou em inúmeras influências importantes para criar esta terapia milenar. Um homem comum, estudioso e que decidiu partilhar este método por si criado, com a intenção de ajudar todas as pessoas possíveis. Não tem ligação a nenhuma religião, pelo que qualquer pessoa o pode praticar, sem qualquer limitação.

Há alguns anos tive a sorte de fazer a minha iniciação (uma espécie de ritual que nos capacita a saber fazer esta cura…o que nos torna Reikianos). Este “ritual” é algo bastante semelhante a uma simples meditação, e a partir daqui, estamos aptos a fazer Reiki a nós mesmos e a quem quisermos.  Esta cura é feita através das nossas mãos em determinadas zonas do corpo, chamadas de chakras, dos quais temos 7 principais, mas podemos aplicar Reiki em qualquer zona do corpo, ou até mesmo de objetos. 

O Reiki é dividido em 3 níveis, sendo que o primeiro nos inicia neste Universo e nos mostra o quão poderosa é esta Energia Universal. Com o segundo nível conseguimos enviar Reiki á distância para qualquer pessoa e/ou situação e com o nível 3 passamos nós também a ensinar…tornamo-nos Mestres/Professores de Reiki. 

Há quem tenha tido experiências muito significativas com o Reiki, e nada como experimentar para sentir a Energia do Universo.  Eu fiz já as 3 iniciações, tendo sido cada uma delas uma experiência única e por isso mesmo convido todas as pessoas a experimentar pois não se arrependerão. 

O Reiki é considerado uma filosofia de vida pois acenta em 5 princípios espirituais que são os seguintes:

Só por hoje:

Não me zango;

Não me preocupo;

Sou grata;

Trabalho com dedicação;

Sou gentil para mim e para os outros.

Seguindo este 5 princípios tornamo-nos seres humanos muito melhores, muito mais calmos e serenos, tendo ainda a grande vantagem de poder curar. E desengane-se quem acha que é fácil segui-los pois não é de todo…é uma questão de praticar todos os dias, um dia de cada vez.

 

Eu, Paula!

 

 

O peso das palavras

Falar…algo automático que fazemos diariamemte…algo tão simples mas com tanto peso…

Já tentaram entender o peso das palavras?? Pois bem, as palavras conseguem ter um peso tremendo, as palavras podem destruir alguém. Podem fazer alguém sentir-se a pior pessoa do mundo…ou a melhor!

Depende sempre das palavras que forem utilizadas e também da intenção com que as utilizarem. Obviamente que também depende da forma como são recebidas, mas há sempre aquelas palavras que, por mais que se queira, não dá para receber de forma positiva…seja pela forma como foram ditas, seja pela forma como foram “enviadas” ou até mesmo de quem elas vieram ou da situação em que vieram ao nosso encontro.

Devemos, quando assim é, tentar não as levar a peito…não as receber de forma menos positiva, ou até mesmo fingir que simplesmente não as recebemos. Para o nosso bem!

As palavras podem doer muito. Podem provocar uma dor irreparável.

Por outro lado, as palavras podem ser altamente motivadoras. Podem fazer alguém feliz! Basta serem utilizadas de forma positiva, com a intenção de criar um sorriso, um impulso para fazer algo bom. E é tão bom receber palavras positivas…palavras verdadeiras que nos motivam a olhar em frente com força e coragem. Palavras destas são palavras divinas no sentido de conseguirem mudar o dia, o trajeto ou até mesmo a vida de alguém.

E porque não, nos desafiarmos a, tentar ao menos um dia, dizer apenas palavras positivas…tentar, pelo menos um dia, motivar e alegrar alguém. Tentar durante 24h, apenas 24h, ser a motivação de alguém…a alegria de alguém, o sorriso de alguém. Veremos facilmente que, não só custa muito pouco fazer o bem por alguém de maneira tão simples, como, o que recebemos em troca será também muito positivo. 

Vamos tentar dizer palavras positivas pois, as palavras são demasiado pesadas para ser negativas!

Vamos apenas tentar!

 

Eu, Paula!

 

7 coisas que acabam com a nossa energia

Todos nós sentimos por vezes, uma quebra de energia. Decidi então partilhar com vocês 7 coisas, ou atitudes que tomamos por vezes e que pura e simplesmente acabam com a nossa energia:

  1. Fingir que estamos bem ou que está tudo bem. Ninguém está bem sempre. Todos nós temos fases menos positivas…não precisamos esconder do mundo inteiro que não estamos bem. É normal, é natural…todos passamos por isso. 
  2. Viver no passado. Pois bem, aqui está algo que eu sei que não é fácil…falo por experiência própria, e como tal sei que, viver no passado não nos ajuda em nada. O passado ficou lá atrás por alguma razão muito forte. O passado não define o nosso presente nem o nosso futuro…somos nós que definimos, somos nós que o construímos. Não é fácil, mas vamos tentar…todos os dias, dia após dia…ok?
  3. Agradar a todas as pessoas. Não…de todo!! Não podemos e nem devemos agradar a todas as pessoas. Cada um de nós é um ser único…cada um de nós tem qualidades e defeitos também. Temos sim de aprender a viver com as qualidades e defeitos uns dos outros. Isso sim é viver em harmonia…isso sim é amor. Nunca ninguém agradou a todas as pessoas!
  4. Querer dar conta de tudo. Algo que pode até parecer possível, mas que na realidade não é! Querer controlar tudo, querer saber e fazer tudo. Não. Até mesmo porque não é saudável para nós mesmos! Todos temos de parar um pouco…pela nossa sanidade mental e também pelo nosso crescimento pessoal e espiritual.
  5. Viver a vida dos outros. Quantas vezes nos damos conta e estamos a pensar na vida da vizinha, da amiga, da prima??? Pois bem, cada um com os seus problemas, cada um com os seus afazeres…devemos sim viver a nossa vida. Se o fizermos, estaremos a dar a devida atenção ao que é realmente importante para nós, sem correr o risco de descuidar aquilo que é única e exclusivamente, a nossa vida
  6. Reclamar. Algo difícil para algumas pessoas, mas não impossível. Reclamar é fácil…,mas baixa imenso a nossa energia, a nossa vibração diminui muito…além de estarmos a atrair apenas coisas menos positivas. O pensamento comanda e, ao termos pensamentos e sentimentos de gratidão em vez de estarmos constantemente a reclamar, estaremos sim a atrair tudo de positivo para nós e para quem  nos rodeia. 
  7. Pensar demais. Pensar é bom sim…ajuda a tomar decisões, a solucionar problemas, entre tantos outros. Mas, tudo o que é em excesso faz mal e pensar não é exceção. Devemos pensar sim, mas devemos também tirar uns minutos diariamente sem pensar…a melhor forma de o fazer??? Meditar. Sem dúvida que das melhoras formas de não pensar e ainda com a vantagem de nos ajudar em tudo o que seja possível e imaginário. 

 

Espero ter ajudado e espero de coração que tentem evitar estas 7 coisas que nos prejudicam tanto.

 

Eu, Paula!

Pasta de dentes natural Tailandesa

Depois de algum tempo a ver e ler algumas pessoas falar das suas experiências com uma pasta de dentes vinda da Tailândia, lá fui eu encomendar também a minha. 

Não que duvidasse ou colocasse em causa os tantos comentários e feedbacks que li mas, nada como experimentar para ver. Até porque, o facto de ser uma pasta de dentes sem qualquer componente químico, já me fez querer experimentar…wowww, uma pasta de dentes 100% natural??? A sério? Muito bom.

Outra coisa que pesou imenso na minha decisão de a encomendar foi, ela não ter fluor…pois é! Obviamente agora alguns de vocês irão dizer que o flúor faz bem e etc…pois bem, eu tenho lido bastante acerca do assunto e, na minha humilde opinião, o flúor não me vai trazer nada de positivo portanto, encomendei a minha pasta de dentes super feliz e contente. (Quanto á questão do flúor, fica para um próximo post)

Duas semanas depois, e duas semanas porque infelizmente o serviço alfandegário decidiu que queria uma visita da minha pessoa, lá recebi eu a minha tão aguardada pasta de dentes.

Assim que cheguei a casa, obviamente fui logo experimentar a tão esperada pasta. 

O cheiro lembra ervas e mostra logo que realmente é natural. Sendo uma espécie de concentração de ervas, basta apenas uma “ervilha” na escova de dentes. Depois? Depois é só disfrutar da frescura que é inigualável. Uma frescura que se sente desde o início da escovagem até ao fim…e surpresa, mesmo horas depois, após ter jantado, ainda tinha esta frescura em toda a minha boca.  

Na realidade, não se sente apenas a frescura, como também, a sensação de limpeza…nunca uma pasta de dentes me deixou com esta sensação tão forte e durante tanto tempo. 

Além de tudo isto, é uma pasta de dentes que é branqueadora…e agora pasmem-se…nota-se desde a primeira lavagem. 

Não digo que ficamos logo com os dentes mais brancos, uma diferença brutal, mas, notamos logo uma grande diferença. Quem tenha manchas, vai ver logo diferença sim. 

Não podia ter ficado mais feliz com a minha compra. Recomendo imenso e como tal, deixo-vos o link onde podem também encomendar a vossa pasta de dentes. 

https://www.neuzamariano.com/loja

Aqui poderão encontrar não só a maravilhosa pasta de dentes, como também outros artigos…nomeadamente a base de maquilhagem, também ela 100% natural, que encomendei, e da qual só irei falar, após a ter testado, visto ter uma pele super sensível e reativa. 

Qualquer dúvida ou questão, podem sempre falar com a Neuza, ela é muito querida, super acessível e uma pessoa linda. Quanto ás encomendas são super de confiança.

Espero que, tal como eu, encomendem e experimentem para entender o quão maravilhosa esta pasta é. 

 

Eu, Paula!

 

Tarot no dia-a-dia

Sendo o tarot uma arte milenar, ainda tão “mal” vista hoje em dia, é talvez, difícil para algumas pessoas interiorizar que o mesmo faça parte do dia a dia de muitas outras pessoas.

A verdade é que sim, o tarot faz parte (felizmente) da vida de muita gente. Há uns dias, ouvi uma “taróloga” dizer que para se ser tarólogo não é necessário ter qualquer curso pois ler tarot tem acima de tudo a ver com uma intuição muito forte. Não discordando do facto de que, ao ter uma intuição muito forte, conseguiremos ler melhor tarot, a verdade é que ler tarot não é um dom como muitas pessoas querem fazer crer. Ninguém até hoje, nasceu a saber ler tarot.  É verdade sim que há quem tenha uma intuição mais forte e que talvez daí tenha uma pequena ajuda, mas, nada, e repito, nada se aprende sem estudo e dedicação. Obviamente que há pessoas que sentem uma ligação com o tarot, os oráculos no geral, desde muito novas, mas, sem se dedicarem e sem estudarem cada uma das cartas, torna-se com toda a certeza mais difícil ler o que cada uma das lâminas nos pode transmitir.

Acho fundamental fazer formação e estudar tarot, da mesma forma que acho essencial passarmos um tempo com cada uma das cartas. O estudo transmite-nos uma informação e a nossa intuição e dedicação vão transmitir-nos outra. As duas complementam-se.

A responsabilidade de ler tarot para alguém é tanta que, não podemos apenas ir pela nossa intuição, até mesmo porque, não é fácil termos a certeza de que a nossa intuição está a “funcionar” bem. Tenho até visto algumas contradições no que diz respeito a intuição, portanto, não me alongo mais neste tema tão complexo.

Ao longo do tempo como taróloga, tenho estudado sempre…não deixo de estudar mesmo estando a dar consultas diariamente, pois se há algo que aprendi com o tarot, é que eu cresço diariamente como pessoa. O tarot todos os dias me “fala” de algo em mim que eu por vezes não consigo ver de forma consciente, portanto acho imprescindível que não só se façam formações de tarot, como também, se continue a estudar sempre, esta arte, esta ferramenta, esta ajuda que damos a tantas pessoas que tanto dela precisam. E devemos sempre, lembrar que, ao fazer uma consulta, ao dar ajuda a alguém através do tarot, somos responsáveis por toda a informação que transmitimos. Por vezes a pessoa do lado de lá vem ter connosco muito em baixo, muito abatida e cheia de problemas, como tal, cabe-nos a nós, verdadeiros tarólogos, informar e orientar todas as pessoas de forma verdadeira, responsável e acima de tudo com ética.

Acho super importante deixar claro que somos pessoas sérias e responsáveis com o trabalho que fazemos diariamente pois é devido a falta de informação e também de informações erradas passadas por alguns “tarólogos”, que a nossa profissão ou missão estão ainda mal vistos.

 

Eu, Paula!

 

 

Sinais de desidratação

Com a chegada do tempo quente, mesmo que tarde, chegam também alguns cuidados a ter na nossa alimentação e ingestão de líquidos. 

A hidratação é fundamental, principalmente se praticamos algum exercício, bem como nas crianças pequenas, nos bebés e nos idosos, sendo essencial nos meses de maior calor.

A desidratação acontece quando o nosso organismo não tem água suficiente para funcionar de forma correta, quando a saída de líquidos é superior á quantidade que ingerimos. 

Pode acontecer de forma lenta ou rápida, consoante vários factores, nomeadamente a idade e a forma como se perdem estes líquidos. As causas mais frequentes são a pouca ingestão de líquidos ou a perda dos mesmos devido a vómitos e/ou diarreia. Contudo, com as temperaturas a aumentar, o nosso organismo obviamente necessita de mais água. É no verão que perdemos mais liquídos, por conta da transpiração e salivação.

Alguns sinais de desidratação:

  • Sede aumentada 
  • Pele seca
  • Pele fria ou a transpirar
  • Cansaço aumentado
  • Tonturas e/ou desmaio
  • Baixo nível de energia e cãibras
  • Boca e/ou língua secas e pegajosas
  • Choro sem lágrimas (em bebés e crianças)
  • Urina de cor escura ou sem urinar por mais de 8 a 12 horas.

 

Prevenir a desidratação

O ideal será ingerir bastante água todos os dias e dessa forma estamos já a prevenir ficar desidratados, contudo, e tendo em conta que a maioria das pessoas não ingere o suficiente diariamente, sugere-se o aumento gradual de ingestão de água, mesmo antes do calor chegar. Podemos também, consumir frutas com maior percentagem de água: melão, melancia, ananás, morango, etc. 

Importante ressalvar que, sumos, refrigerantes e bebidas alcoólicas, aumentam apenas o açucar no nosso organismo, como tal não são recomendáveis. 

Como últimos conselhos digo-vos que: 

  • Não fiquem á espera de sentir sede, pois chegando a esse ponto, é sinal que o nosso organismo pode já ter iniciado um processo de desidratação, o melhor será ir bebendo água ao longo do dia. 
  • Não se esqueçam de consultar sempre um profissional de saúde. Eles são quem melhor pode orientar e também, fazer um correto diagnóstico.

 

Este texto é meramente informativo. 

 

Eu, Paula.

 

 

Pensar é grátis

Hoje, no meio da cidade de Lisboa, deparo-me com este “tesouro”. Tesouro porque realmente ainda há pessoas que não se dão ao “trabalho” de pensar…será porque acham que se paga algum tipo de imposto??

Pois bem, este post serve, acima de tudo para informar que não…não se paga qualquer tipo de imposto para pensar! Podem pensar à vontade…sério! Falo por experiência própria…todos os dias penso e nunca paguei nada! 

Brincadeiras à parte. Não estou obviamente a falar de pensar no dia a dia, de pensar em modo automático como todos nós pensamos…falo sim de, pensar antes de falar, pensar antes de agir. 

Se todos conseguissem entender que, pensar antes de falar ou fazer algo traz nada mais nada menos que; menos conflitos, menos discussões, menos chatices e muito menos dissabores, então todos iriam pensar! Todos os dias há alguém que discute porque não pensou. Todos os dias há uma amizade que se destrói porque alguém simplesmente não pensou. Diariamente algo menos positivo acontece porque alguém não pensou! 

Vamos aproveitar que, ainda não se paga e vamos todos pensar um pouco mais??? 

Pensar mas, pensar positivo ok? Já que o vamos fazer então que seja de forma positiva para atrairmos mais coisas positivas. Tomar consciência de nós mesmos, dos nossos erros, das nossas capacidades. Pensar se estamos a errar com alguém ou até com nós mesmos. Pensar que talvez não seja assim tão positivo rebaixar alguém só porque não corresponde ao que nós estavámos à espera. Pensar no geral. Pensar. Apenas e só…pensar!

 

Eu, Paula.